Foque na Solução e Não no Problema

solucao-de-problemas

Quando nos vemos diante de um problema, a tendência é nos fixarmos no próprio problema e nos questionarmos sobre o que deu errado e porque deu errado.

Essa abordagem,contudo, pode funcionar nas situações mais simples que não exigem maior aprofundamento. Em situações mais complexas, porém, focar no problema pode tornar as coisas mais complicadas,  ou nos levar a desenvolver um padrão de comportamento repetitivo e improdutivo.

Ao nos concentrarmos no problema, estamos focando nos aspectos negativos como a ênfase nos pontos fracos, nos erros, no que não funcionou, e naquilo que consideramos a nossa incapacidade e limitações. Isso pode nos levar a um sentimento de frustração e de estresse, de fracasso e impotência, com a sensação constante de que estamos num beco sem saída.

Focar em soluções não significa ignorar o problema, mas abordá-lo de um modo mais positivo e produtivo, adotando os seguintes procedimentos:

  • verificar o que está funcionando e o que podemos aprender com isso para utilizarmos em outras situações;
  • concentrar nos pontos fortes e em como tirar maior proveito deles;
  • enfatizar desafios, ganhos e oportunidades em vez de problemas, riscos e perdas
  • focalizar o presente e o futuro e não o passado, substituindo o “o que eu deveria ter feito” por “o que posso fazer daqui para frente”

Como funciona o foco em soluções

solucao-de-problemas-1

Estruturado a partir do Solution-Focused Brief Therapy (Terapia Breve Focada em Solução), o método foi desenvolvido pelos psicoterapeutas Steve de Shazer e Insoo Kim Berg, em 1982, com base no trabalho do psiquiatra Milton Erickson e outros estudiosos, que investigaram a mente inconsciente como geradora de soluções.

A base dessa abordagem é o objetivo que a pessoa que atingir, e não os problemas. Visa identificar o que deve ser mudado e a estimular a construção de uma visão do futuro ideal, em vez de lidar com um passado que não pode ser mudado.

Técnicas para Estimular o Foco em Soluções

1 – Fazendo a “pergunta milagrosa”

Imagine como seria o futuro ideal como se o problema que está tentando resolver não mais existisse. É um processo de trás para a frente, ou seja,  você começa visualizando seu objetivo atingido e refazendo os passos que o levaram até lá.

Cada passo é uma meta que lhe mostrará as etapas que deve vencer para chegar ao seu objetivo, desdobrada em cinco passos:

  • imaginar que o problema desapareceu;
  • identificar o que mudou;
  • explorar as diferenças;
  • identificar os passos para chegar ao futuro ideal;
  • implementar um plano de ação.

2 – Mudando padrões mentais

Ás vezes nos fixamos em padrões mentais repetitivos, que reproduzem e se concentram sempre nos mesmos aspectos e no mesmo modo de interpretar os fato.

Considere esse dialogo hipotético:

  • Por que você não amplia a sua clientela?
  • Porque não tenho tempo para visitar mais clientes;
  • E por que não arranja mais tempo?
  • Porque meu carro vive dando problema;
  • E porque não troca de carro?
  • Porque não tenho dinheiro
  • E por que não consegue ganhar mais?
  • Porque não consigo ampliar minha clientela

Esse tipo de raciocínio circular nos coloca num círculo vicioso, no qual nada é realizado. A saída é fazer perguntas que desafiem essa forma de pensar e estimulem um novo padrão mental.

solucao-de-problemas-2

3 – Fazendo Perguntas Sistêmicas

São perguntas que direcionam o foco para soluções e ajudar a sair do ciclo vicioso. Por exemplo:

  • O que eu estou deixando de fazer agora e que, se fizesse, poderia fazer uma grande diferença e mudar essa situação?
  • Quais as forças que tenho e não estou usando? Como deveria proceder para mudar isso?
  • Quais os recursos que eu posso usar e, no momento, estou ignorando?
  • Se eu tentasse uma abordagem radicalmente diferente para encontrar uma solução, qual seria?
  • Se fosse perfeitamente possível reverter rapidamente essa situação, o que eu faria?
  • Se fosse possível descrever essa situação em termos de oportunidade, que descrição em faria?

4 – Escalas

Outra ferramenta utilizada no foco em soluções são as escalas.

Pense no problema que está tentando resolver. Agora, imagine uma escala que vai de 0 a 10, sendo:

  • 0(zero) o pior momento que você já viveu devido ao problema em questão;
  • 7 (sete) um resultado aceitável para o problema;
  • 10 (dez) a solução ideal para o problema em questão

Após preencher a escala, responda:

  • em que ponto da escala você se encontra agora?
  • O que o impede de descer 1 ponto na escala? Isso lhe permitirá identificar as forças e os recursos que está utilizando para lidar com a situação;
  • Imagine um dia em que estivesse um ponto acima da pontuação atual. Como saberia que está um ponto acima? O que seria diferente? Essas perguntas o ajudarão a identificar possibilidades e linhas de ação.
  • Que ponto da escala seria bom o suficiente – ou pelo menos aceitável – para você estar? Descreve como seria um dia no qual você chegasse a esse ponto. Como saberia que chegou lá? O que estaria sentindo? O que estaria fazendo? Essas perguntas irão ajudá-lo a explorar o futuro desejado e os caminhos para chegar lá.

 Com foco na solução dos problemas, você consegue reduzir a preocupação constante e o estresse, adotar uma postura mais proativa, elevar a autoestima, a autoconfiança, a automotivação, além de aprimorar a habilidade de resolver problemas de um modo mais rápido, criativo e eficaz.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s