Você é um Perfeccionista?

web-perfectionism

Até bem recentemente, antes que virasse um “clichê”, dez entre dez candidatos a uma vaga de emprego, quando solicitados a apontar uma fraqueza, durante a entrevista de seleção, respondiam sem pestanejar: perfeccionismo.

Era uma forma de disfarçar uma aparente fraqueza, transformando-a numa virtude, de forma a destacar o compromisso com a excelência e qualidade do trabalho.

A verdade, porém, é que o perfeccionismo é uma forma mais sofisticada de procrastinação, podendo comprometer a reputação de um profissional pela demora em entregar resultados dentro dos prazos ou deadlines estipulados, e  prejudicar a própria saúde e qualidade de vida, gerando problemas de depressão, ansiedade, distúrbio alimentar, fadiga e, em casos extremos, até a mortalidade precoce, conforme artigo do professor de psicologia do esporte Andrew Hiel, da Universidade York St.John

O perfeccionismo não é, em si,  uma coisa ruim, já que faz com que as pessoas busquem um padrão elevado de forma proativa, o que muitas vezes leva à realização e à satisfação pessoal, o que ajuda a prevenir problemas de saúde.O problema é quando as pessoas se preocupam excessivamente em cometer erros e buscam metas ou objetivos inatingíveis, o que faz com que o lado obscuro do perfeccionismo aflore.

Pesquisadores destacam que o perfeccionismo é mais prejudicial no ambiente de trabalho, pois estudantes e atletas profissionais têm objetivos mais definidos e específicos. Um estudante, por exemplo, pode ser recompensado com uma nota alta no exame,  e o atleta, com um gol. Numa empresa, porém, o trabalho de um perfeccionista nem sempre é recompensado ou reconhecido, o que termina gerando frustração e “burnout”

A psicologia identifica dois tipos de perfeccionista – o saudável ou positivo, e o neurótico ou negativo – em função dos seguintes procedimentos.

Atitudes Perfeccionista saudável Perfeccionista neurótico        
Relacionamento com metas e objetivos Sente-se positivamente motivado pelas suas metas, com um sentimento de satisfação enquanto trabalha nelas Sente-se sobrecarregado, com um sentimento de medo de não ser bem sucedido ou que não saiam do jeito que gostaria
 

Direcionamento para a ação

Focado em entrar em ação e aprimorar o trabalho continuamente Vive procrastinando aguardando o momento “perfeito” de fazer alguma coisa
Satisfação pessoal Celebra cada vitória, mesmo as pequenas, dando-se crédito quando este é devido Sente-se permanentemente insatisfeito com o que realiza ou obtém, sempre achando que ainda não é o bastante ou o ideal  

 

 

 

Visão macro X visão micro Reconhece o quadro mais amplo e faz o que é necessário para obter o melhor resultado, sem se preocupar com pequenos detalhes Obcecado em corrigir pequenos erros, mesmo quando não têm impacto no resultado final, em prejuízo de outras prioridades
Equilibrio vida pessoal e profssional Dá atenção à saúde, lazer e relacionamentos pessoais Frequentemente negligencia outras coisas que não estejam diretamente relacionadas com o trabalho
Atitude em relação a fracassos O foco é aprender com eles, com o sentimento de que erros e fracassos fazem parte do processo de crescimento Detesta o fracasso e não admite erros, mesmo aqueles mais insignificantes e não percebidos pelos outros

 

Como combater o perfeccionismo

perfeccionismo-2

O primeiro passo é se conscientizar de que o perfeccionismo é indesejável e que a perfeição é uma coisa ilusória e inatingível. A etapa seguinte é desafiar os pensamentos negativos e crenças limitantes que alimentam o perfeccionismo. Algumas estratégias:

  • Tenha objetivos claros e realistas, sempre levando em conta as suas próprias aspirações e necessidades, sem buscar insistentemente a aprovação dos outros;
  • Valorize o processo de atingimento de suas metas e objetivos e não exclusivamente o resultado final. Avalie o seu sucesso não apenas pelas suas realizações, mas também pelas atividades que executou para chegar lá;
  • Confronte os medos que podem estar por trás do perfeccionismo, perguntando-se: “O que me dá medo nessa situação”? “Qual é a pior coisa que poderia acontecer”?
  • Reconheça o erro como um processo de aprendizagem e não como um fracasso. Pense em um erro recente que cometeu e liste todas as coisas que pode aprender com ele;
  • Aprenda a diferenciar as tarefas mais prioritárias daquelas menos importantes, concentrando seus esforços naquilo em que você se destaca e no que pode lhe trazer mais resultados;
  • Reconhecer que o trabalho não é tudo na vida e dê uma chance a si mesmo e às pessoas de seu relacionamento mais intimo a aproveite a vida para ter um hobby, descansar e se divertir;

O mais importante é começar com pequenos passos, sem tentar mudar todos os seus hábitos perfeccionistas de uma vez. Pense nos seus objetivos de forma sequencial,mas sem rigidez.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s