O modelo GROUP no Coaching de Grupos



Coaching em grupos

De acordo com o professor e consultor Manfred de Vries, fundador doInsead Leadership Centre, o coaching em grupo lida com as funções mentais do afeto e da cognição dentro do sistema organizacional em vez de focar apenas no alcance de metas individuais.

Em sua prática, De Vries desenvolve as competências individuais dos coachees (pessoas que passam pelo processo de coaching) e,simultaneamente, estimula o peer coaching (coaching entre colegas), buscando maximizar os insights e a superação de obstáculos individuais ou coletivos rumo ao crescimento.

Os coachess são encorajados a utilizar abordagens semelhantes com seus próprios times, colegas ou colaboradores, empregando as habilidades desenvolvidas durante o coaching em grupo e ampliando perspectivas, performances e responsabilidades.

O Modelo GROUP

Coaching em grupos 3

Um método eficaz de realizar esse processo é por meio do modelo GROUP. Desenvolvido por Anthony Grant e Saul Brown, da Universidade de Sidney, o GROUP reúne elementos de dois conceitos complementares: o modelo GROW, de Alexander, Fine e Whitmore,, e a “Teoria U”, de diálogo em grupo, desenvolvida por Otto Scharmer, da MIT Sloan School of Management.

O GROW, que é uma ferramenta básica no coaching, fornece um roteiro estruturado para, simultaneamente, atingir objetivos e superar obstáculos. A “Teoria U” trata de mudanças de padrões comportamentais improdutivos que afetam negativamente a tomada de decisões. conforme quadro a seguir:

Etapa                                            Descrição                                   Possíveis Perguntas

G Goal, ou objetivo: esclarecer o que se deseja alcançar em cada sessão. Essa etapara determina o foco do coaching  O que você quer atingir com essa sessão? Como você gostaria de se sentir depois? Qual seria o melhor uso desse tempo?
R Reality, ou realidade: tomar consciência da realidade de cada membro do grupo. Essa etapa examina o impacto da situação atual sobre os objetivos identificados Como foram as coisas para você nesta semana? Que dificuldades encontrou e o que fez para lidar com elas? O que funcionou? O que não funcionou?
O Options, ou opções: identificar e avaliar as opções disponíveis.Essa etapa encoraja o pensamento voltado encontrar soluções Que opções você tem? O que fez e que funcionou? O que ainda não tentou, mas que poderia funcionar?
U Understanding others, ou compreendendo os outros: observar atentamente e atribuir significado tanto ao que foi dito como às respostas internas Quais são, em sua opinião, as melhores opções? O que você achou do que ele disse? No que você estava pensando enquanto ouvia seu colega? O que a perspectiva do grupo pode integrar ao seu ponto de vista?
P Perform, ou performar: auxiliar o grupo a determinar os próximos passos. Visualizar as melhores opções. Desenvolver planos individuais e coletivos. Gerar motivação e assegurar comprometimento e responsabilização Qual a coisa mais importante a fazer a seguir? O que você pode aprender a partir do que foi dito? O que pode ser uma barreira? Quem poderá ajudá-lo? Como você vai se sentir quando fizer isso?

Coaching em grupos 2

É importante salientar que as etapas do modelo não precisam ser lineares, tudo dependendo das necessidades do grupo. Por exemplo, se os participantes ainda não possuem uma visão clara dos objetivos em mente, a etapa Reality (realidade) pode ser antecipada e ser aplicada antes da etapa Goals (metas ou objetivos), para que estes se tornem mais claros.

Do mesmo modo, se os participantes tiverem pouca compreensão das necessidades, recursos e forças uns dos outros, pode ser recomendável aumentar esse conhecimento, antecipando a etapa Understanding Others(ou compreendendo os outros).

Para revisar e avaliar as sessões de coaching em grupo, poderá ser utilizado o RE-GROUP, que consiste no conhecido processo de follow-up, quando as ações definidas na sessão anterior são revisadas e analisadas antes que novas metas e objetivos sejam estabelecidos os modificados. Contudo, isso deve ser feito em função das necessidades individuais de cada membro do grupo.

Referêrencias:

BROW, S.W & GRANT, A.M (2010) – GROW TO GROUP: Theoretical Issues and a practical model for group coaching. Organizations Coaching: An International Journal of Theory Research abd Practice 10-45;

WHITMORE, J (2002) – Coachinf for Performance. London: Nicholas Brealey Publishing

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s